As frases que marcaram a semana de 29 de fevereiro a 6 de março de 2020


– Projeções


“Vocês vão ver que o crescimento, que era de 2% quando eles fizeram as primeiras simulações, já caiu para 1,5%”.
Paulo Guedes, em 14 de maio de 2019, em audiência na Comissão Mista de Orçamento. Dois meses antes, a equipe econômica previa 2,2%.

“Então, está dentro do previsto”.
Paulo Guedes, nesta quarta (4), sobre o crescimento do PIB em 1,1% em 2019, anunciado pelo IBGE.

“Estou muito preocupado, não durmo tranquilo. Não é normal um país como o Brasil crescer 1% ao ano”.
Mansueto Almeida, secretário do Tesouro Nacional, na quinta (5).

– Dourando a pílula

“Está muito bem a economia, graças a Deus, segundo aí o Paulo Guedes e equipe econômica, testemunhado e comprovado pelos empresários de São Paulo”.
Jair Bolsonaro, na quinta (5).

“Salão do automóvel de São Paulo será adiado deste ano para 2021”.
Manchete do Valor Econômico, na sexta (6).

“Paulo Guedes é o ministro do amanhã. ‘Amanhã eu mando, amanhã vai acontecer”.
Deputado federal José Nelto (Podemos-GO), nesta sexta (6).

– Escatologia

“As pessoas gostam de morar ali perto [em áreas de risco] porque gastam menos tubo para colocar cocô e xixi e ficar livre daquilo”.
Marcelo Crivella, no domingo (1º), durante reunião do Centro de Operações Rio transmitida pelas redes sociais. Na segunda (2), um morador atingiu o prefeito com uma bola de barro.

“Enfia o fundo eleitoral no c… de vocês”.
Deputado federal Márcio Labre (PSL-RJ), em áudio dirigido à ala ‘bivarista’ do partido, divulgado por O Antagonista na quinta (5).

“Aqui é lugar de dar tapa na bunda”.
Deputado federal Delegado Waldir (PSL-GO), no Conselho de Ética da Câmara, na terça (3), sobre representação contra o colega Filipe Barros (PSL-PR). No dia seguinte, Waldir votou contra uma punição a Barros.

“E aquele pum produzido com talco espirrando do traseiro do palhaço”.
Regina Duarte, no discurso da posse na quarta (4), sobre o que é cultura.

– Fim do motim


“Aprende, Bolsonaro e seu capanga Moro: no Ceará está o seu pior pesadelo! Generais, aqui manda a lei!”.
Ciro Gomes, na segunda (2), no Twitter.

“Apesar dos Gomes, a crise foi resolvida”.

Sergio Moro, em resposta.

– O acordo de Schrödinger

“Não houve qualquer negociação em cima dos 30 bilhões”.
Jair Bolsonaro, na terça (3).

“Não houve acordo. Nós transferimos a responsabilidade de organizar o Orçamento impositivo para o governo federal”.
Fernando Bezerra Coelha (MDB-PE), líder do governo no Senado, também na terça (3).

“[acordo] é pior do que imaginávamos”.
Deputado federal Paulo Ganime (NOVO-RJ), também na terça (3).

“[houve] acordo apenas para manutenção dos vetos”.
Senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), também na terça (3).

– Temperatura


“O clima é razoável”.
Deputado federal Domingos Neto (PSD-CE), relator do Orçamento, na quinta (5), sobre votação na semana que vem dos PLNs enviados pelo governo.

“Foda-se Congresso Nacional! Foda-se STF.”
Mensagem reproduzida por Juíza Selma (Podemos-MT), senadora cassada, nesta sexta (6).

Fonte: O Antagonista.