Marco Aurélio Mello, sobre fuga de André do Rap: “Se alguém falhou, não fui eu”


source
Marco Aurélio, ministro do STF
Carlos Moura/ SCO/ STF

Marco Aurélio, ministro do STF

Durante sessão do STF nesta quinta(15), que decidiu por uma nova ordem de prisão contra André do Rap , o Ministro Marco Aurélio Mello votou contra e criticou a decisão de Fux, que anulou a liminar concedida por ele.

Marco Aurélio foi o último a votar, quando o placar a favor da prisão já estava em 9 a 0, e se defendeu das críticas sofridas pela decisão do último dia 10, quando emitiu ordem de soltura para o traficante, sob a alegação de que se torna ilegal a prisão preventiva não reavaliada a cada 90 dias.

“Não me sinto, em que pese as inúmeras críticas, no banco dos réus. Atuei como julgador nessa missão sublime de julgar personificando o que faço há 41 anos”, afirmou o ministro.

André do Rap , apontado como um dos chefes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital(PCC), segue foragido desde o último sábado(10), quando foi solto após o habeas corpus do STF. Sobre a fuga, Mello se eximou da culpa:

“Continuo convencido do acerto da liminar que implementei. E se alguém falhou, não fui eu. Não posso ser colocado como bode expiatório do juiz de origem, com a falta de diligência do Ministério Público, Estado acusador, e ou uma falta de diligência na representação da própria polícia”.

Além disso, criticou o presidente do Superior Tribunal Federal Luiz Fux por ter suspendido a decisão da soltura. Marco e Fux discutiram durante a votação: “Só falta Vossa Excelência querer me peitar para eu modificar meu voto. Meu habeas corpus continua íntegro, será levado ao colegiado”, criticou o ministro após o presidente interromper sua fala, que depois ainda completou: “Quem ganha com isso? Apenas a vaidade do presidente”.


Felipe Viana

Felipe Viana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *