Jardim Botânico recebe 30 lixeiras


Espalhadas em pontos estratégicos, as lixeiras também têm função educativa: despertam nos visitantes a consciência da preservação | Foto: Divulgação/JBB

O Jardim Botânico de Brasília (JBB) recebeu, por meio do projeto Adote uma Praça, 30 lixeiras de metal de resíduos orgânicos e sólidos.  “Como nossa área de visitação é muito grande, as novas lixeiras serão fundamentais para que os visitantes acondicionem os resíduos no lugar certo”, valoriza a diretora-executiva do JBB, Aline De Pieri.  “Espalhamos os equipamentos por locais estratégicos para facilitar e manter os 500 hectares do Jardim sempre limpos”.

A gestora lembra que, por ser uma unidade de conservação que protege 5 mil hectares de Cerrado, o JBB, com frequência, tem animais silvestres circulando em sua área. “Os restos de alimentos e outros materiais podem ser tóxicos e contaminar a fauna local, por isso sempre pedimos que o público deposite os resíduos nas lixeiras para evitar esses problemas”.

Termo de cooperação

O termo de cooperação firmado entre o JBB e a empresa Eco Visão Participações e Coleta de Resíduos Eireli, publicado no Diário Oficial do DF não acarretará ônus para a Administração Pública e não envolve o repasse de recursos financeiros. O prazo de vigência é de 12 meses, podendo ser renovado.

A inclusão do JBB no projeto Adote uma praça também é comemorada pelo assessor jurídico da casa, Lucas Augusto de Castro. “Assim, o governo consegue se aproximar da comunidade, desenvolvendo o sentimento de pertencimento à nossa cidade, com benfeitorias que impactam na qualidade de vida da população”, destaca.

O projeto

Coordenado pela Secretaria de Projetos Especiais (Sepes), o Adote uma Praça tem como objetivo incentivar parcerias com empresários e moradores da capital com o GDF. A ideia não é gerar lucro para os adotantes, mas melhorar a cidade, resgatando sua função social. O projeto ajuda a dividir essa responsabilidade com quem quer e pode ajudar. O alvo do programa são praças, estacionamentos, parques infantis, balões rodoviários, canteiros/jardins e até monumentos, entre outros.

Desde que foi instituído, em fevereiro de 2019, o programa já recebeu 66 pedidos de adoção de moradores de várias regiões do DF. O primeiro termo assinado foi o do estacionamento do Hospital Brasília. Desde então, são 36 termos assinados 17 projetos entregues, 18 em fase final de entrega e 21 ainda em análise. A proposta já abrangeu 18 regiões. O primeiro termo assinado foi o do estacionamento do Hospital Brasília.

 

* Com informações do JBB e da Sepes

Fonte: Governo DF

Felipe Viana

Felipe Viana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *