Reforço de R$ 1,5 mi para Serviço de Verificação de Óbitos


| Foto: Divulgação

O Serviço de Verificação de Óbitos (SVO) do Distrito Federal receberá o repasse de R$ 1,5 milhão do Ministério da Saúde. A iniciativa foi publicada no Diário Oficial da União (DOU), na última terça-feira (29) e faz parte das medidas de incentivo ao serviço. A verba poderá ser usada para as situações mais emergentes, como reformas, projetos básicos e complementares, entre outros, que serão designados pelo órgão federal.

“Conforme as informações preliminares do ministério, a verba será dividida em três lotes: o primeiro para insumos, obras emergenciais, reformas e projetos; o segundo previsto será para aquisição de equipamentos, e o terceiro para obras maiores”, informa a chefe do SVO, Aurea Cherulli.

De acordo com a gestora, a verba é mais do que bem-vinda para reforçar o serviço, que foi bastante demandado nos últimos meses, pois é responsável por fazer o recolhimento dos corpos de vítimas de causas naturais ou sem uma confirmada.

“Comparando com o mesmo período de 2019, as remoções desde ano aumentaram em 70%. Desde o início da pandemia pelo novo coronavírus, 214 atendimentos foram de suspeitas de Covid-19. Desses, 68 deram positivo para a doença e três aguardam o resultado laboratorial”, revela.

Além disso, desde o início de 2020 o SVO passou a fazer o recolhimento dos corpos também em hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Antes, eram realizados apenas em residências e em vias públicas. “Isso também contribuiu para o aumento da demanda”, ressalta Cherulli.

O serviço começou de fato no DF em 26 de janeiro de 2019, substituindo o Instituto de Medicina Legal (IML) no recolhimento de corpos que sofreram óbitos por causas naturais. Naquele primeiro ano, foram realizadas 948 remoções de corpos até setembro. Em 2020, ocorreram 1.550 recolhimentos até o mesmo mês.

Serviço

O contato para informar sobre o óbito é feito primeiramente para a polícia. O registro da ocorrência policial é realizado nas delegacias vinculadas, as quais avaliarão cada caso, comunicando ao SVO os óbitos de causa natural e ao IML os de causa violenta/suspeita.

A partir do momento em que é feita a comunicação por parte da delegacia ao SVO, a equipe desloca-se do Hospital Regional de Ceilândia (HRC), onde fica localizado o serviço, para atender ao chamado e realizar os trâmites necessários.

O SVO funciona 24 horas e conta atualmente com dois veículos para a remoção dos corpos. As equipes são compostas por técnico de laboratório, médico, motorista e servidor administrativo.

Fonte: Governo DF

Felipe Viana

Felipe Viana