Imagens noturnas da Terra indicam focos de transmissão do novo coronavírus


source
coronavírus
Reprodução/YouTube/Nasa

Imagens noturnas da Terra

Imagens noturnas da Terra são capazes de indicar possíveis focos de transmissão do novo coronavírus (Sars-Cov-2), indica uma pesquisa realizada pela Instituto Payne de Políticas Públicas da Escola de Minas de Colorado, nos Estados Unidos. As cenas, registradas pelo programa Black Marble, da Nasa , mostram as luzes das cidades, dando uma dimensão do consumo de energia em todas as localidades do globo, o que leva a dados sobre o cumprimento de medidas de isolamento social .

A física e pesquisadora Rosa Correa, membro do Instituto dos Engenheiros Eletrônicos e Eletricistas (IEEE) e docente do Instituto Tecnológico Vale (ITV), explica que o estudo analisou imagens noturnas de diversas cidades antes da pandemia e as comparou com cenas capturadas durante a pandemia. 

Com isso, foi possível perceber diferenças entre elas que, relacionadas ao consumo de energia, indicaram regiões mais e menos adeptas às medidas de isolamento social. Por si só, isso já indica áreas nas quais a transmissão do novo coronavírus pode ser mais ou menos provável. 

Mas não para por aí. A pesquisa também analisou áreas próximas a hospitais, o que indica um crescimento na transmissão do vírus. “Eles conseguiram ver que áreas próximas a hospitais ganharam consumo de energia elétrica, então possivelmente aquela população que mora próximo daquelas áreas estava acessando mais aquele serviço de saúde. Então, eles associaram aquele consumo do serviço hospitalar como um indicativo de que provavelmente lá os casos relacionados com Covid-19 poderiam estar maiores”, explica Rosa. 

Um outro estudo, realizado por pesquisadores do Centro de Voos Espaciais Goddard, da Nasa, e pela Universities Space Research Association analisou as mudanças que a pandemia causou no uso de energia elétrica na China, comparando imagens de janeiro e fevereiro de 2020. Próximo à província de Wuhan , foi possível perceber que algumas rodovias estavam esvaziadas com as medidas de isolamento social. 

“As luzes fornecem uma perspectiva diferente sobre os assentamentos humanos. Não estamos apenas olhando para onde estão as estradas. Essas imagens estão nos dizendo quando e se as estradas estão sendo usadas. Estamos analisando as atividades humanas”, disse na ocasião Miguel Román, um dos responsáveis pelo estudo.

Dados ajudam a tomar decisões

De acordo com Rosa, esse tipo de informação pode ser muito valiosa na hora de tomar decisões públicas, como o aumento das restrições ou a retomada da economia. “Os estudos mostram que aeroportos, centros comerciais, shoppings, estacionamentos, rodovias perderam um pouco da luminosidade em algumas cidades. Então, isso indicava que as pessoas estavam seguindo o isolamento. Em outras, poderia ser indicado fazer normas mais rígidas com relação ao isolamento”, esclarece. 

Os estudos, realizados no início da pandemia, deixam lições importantes também para o momento atual, indicando a importância de análises constantes dessas imagens. “Nas cidades com abertura econômica, essa mesma análise poderá ser realizada caso haja uma segunda onda da doença e seja necessário bloquear novamente as atividades”, afirma Rosa.

As imagens noturnas da Terra são capturadas pela Nasa através de satélites e divulgadas para pesquisadores de diversas áreas. Agora utilizadas para soluções relacionadas à pandemia do novo coronavírus , os dados já são amplamente difundidos no meio acadêmico para diversas outras funções. “O [programa] Black Marble está desempenhando um papel vital na pesquisa sobre poluição luminosa, pesca ilegal, incêndios, impactos e recuperação de desastres, assentamentos humanos e infraestruturas de energia associadas”, diz o site do projeto.

Felipe Viana

Felipe Viana