Paróquia Santa Luzia é eleita cartão postal de Samambaia


.
A Paróquia Santa Luzia, ou Igreja da Barca, foi fundada em 1996 e fica na Quadra 304 de Samambaia | Foto: Acácio Pinheiro

Não é só mais uma simples igreja. E, sim, uma referência no imaginário dos moradores de Samambaia. Desde 1996, a Paróquia Santa Luzia – ou a “Igreja da Barca” – se tornou um templo de fé, mas também um ponto de referência da cidade. Essa semana a população local lhe rendeu mais um título: elegeu a paróquia o cartão postal de Samambaia.

No dia 31 de agosto, a Administração Regional abriu uma votação para escolher o ícone que representa a região e seus cerca de 300 mil moradores. Por meio de um formulário na internet e pelas redes sociais, foi possível escolher entre sete monumentos que simbolizam Samambaia. Com quase 40% dos votos, deu a paróquia na cabeça.

“Existiam sete opções de possíveis cartões postais. Mas desde o início, nos grupos de moradores, víamos muitos comentários sobre a igreja. Podemos dizer que Samambaia ganha uma identidade, a de ter um monumento único como a Igreja da Barca”, afirma o administrador Gustavo Aires.

Dentre 4.103 votos, a paróquia foi escolhida por 1.396 pessoas.Ela superou espaços esportivos como o Centro Olímpico e o Estádio de futebol Rorizão. Além do Chafariz, o Complexo Cultural, o Parque Três Meninas e o disputado Restaurante Comunitário.

Construída no formato de um navio, com janelas no casco que remetem à uma embarcação, o novo cartão postal de Samambaia logo ganhou o apelido de barca. Por dentro, estas janelas têm representações de santos. Alguns moradores ainda não rezaram por ali, mas sempre usam a Igreja da Barca quando querem apontar um local próximo.

“Foi também na época do filme Titanic. O órgão público que seria a referência de endereço era o fórum, mas só se lembra da Igreja da Barca”, conta o membro da Pastoral da igreja, Leandro Alves .

“Se tornar cartão-postal é um orgulho pra nós paroquianos. Uma igreja longe do centro de Brasília, frequentada por gente mais simples, sendo reconhecida. Ficamos felizes”, complementa ele, que presenciou a fundação do templo há 24 anos.

Turismo religioso

Os arredores da paróquia têm recebido a atenção da administração, até mesmo pela intensa movimentação. “O local é bem urbanizado, passa por limpeza e manutenção constantes. Fizemos, recentemente, a troca de um abrigo de passageiros, com acessibilidade e baia recuada em frente à igreja”, explica o administrador.

E o reconhecimento chama a atenção para que a Santa Luzia possa entrar de vez na rota do turismo religioso do DF. “Muito legal esse reconhecimento a um monumento importante da cidade. É a valorização da cultura e da história de Samambaia. Dentro do turismo religioso, estamos definindo um roteiro de procissões que seguirão do Plano Piloto para as RAs e vamos incluir a Paróquia Santa Luzia”, destaca a secretária de Turismo Vanessa Mendonça.

| Foto: Acácio Pinheiro

A igreja

A Santa Luzia foi criada no dia 19 de março de 1996. Antes de se tornar uma paróquia, era apenas uma pequena capela de “madeirite” na QS 304, em Samambaia. Possui 53 metros de comprimento e 24 metros de largura e missas todos os dias da semana. Tem capacidade para 960 pessoas sentadas.

Segundo o padre italiano Alberto Trombini, idealizador do projeto, a igreja é uma metáfora da Arca de Noé, construída para resgatar a alma das pessoas.

O interior da paróquia segue a mesma linha arquitetônica nas janelas, na sacristia, na casa do padre, e seu altar é uma réplica da igreja esculpida em mármore. A torre da igreja tem uma visão privilegiada de Samambaia e das cidades vizinhas.

Além do templo religioso, a creche Santa Luzia também foi construída no local e atende crianças em situação de vulnerabilidade.

Resultado da votação

1º LUGAR: Igreja Santa Luzia – 1.396 votos
2º LUGAR: Parque 3 Meninas – 993 votos
3º LUGAR: Chafariz – 538 votos
4º LUGAR: Complexo Cultural – 377 votos
5º LUGAR: Centro Olímpico Rei Pelé – 283
6º LUGAR: Restaurante Comunitário – 268 votos
7º LUGAR: Estádio Rorizão – 248 votos

Fonte: Governo DF

Felipe Viana

Felipe Viana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *