Delegado tentou obstruir investigações contra Cristiane Brasil e Pedro Fernandes


source
brasil
Lúcio Bernardo Junior/Câmara – 21.6.16

Filha de Roberto Jefferson, Cristiane Brasil teve posse no Ministério do Trabalho barrada


Uma reportagem do jornal Meia Hora do Rio de Janeiro, com base nas informações veículadas pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, sobre operação Catarata II, deflagrada na manhã desta sexta-feira (11), que expediu  mandados de prisão contra Cristiane Brasil, ainda pendente, e Pedro Fernandes, revelou que o  delegado da Polícia Civil do Rio Mario Jamil Chadud tentou obstruir a investigação.


Mario e o seu filho, Flávio Salomão Chadud, estão entre os cinco alvos de mandado de prisão preventiva. O MP denúncia o delegado por ter sido responsável pela retirada de documentos , computadores e dinheiro em espécie da sede da empresa Servlog Rio,  do seu filho Flavio e da nora Marcelle Chadud, no Shopping Downtown, na Barra da Tijuca, com o intuito de obstruir a investigação durante a primeira fase da operação. 

A investigação teve início em 2019 após Controladoria Geral do Estado (CGE) identificar fraudes em pregões eletrônicos na Fundação Leão XIII, que foram vencidos de forma fraudulenta pela empresa Servelog, que corrompeu a disputa pelas licitações . O delegado e os demais investigados são acusados de  crimes de organização criminosa, fraudes licitatórias, peculato, corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de capitais e obstruir investigação criminal.  

Felipe Viana

Felipe Viana