Duas semanas de trabalho e dignidade no Setor Comercial Sul


.
Foram emitidos 120 documentos de identidade pela Polícia Civil e 43 pessoas aceitaram voluntariamente serem transferidas para casas de acolhimento | Foto: Paulo H. Carvalho /Agência Brasília

Chegou ao fim a ação integrada do GDF para atendimento a pessoas em situação de rua no Setor Comercial Sul (SCS) e arredores. Nas últimas duas semanas, a iniciativa conjunta entre secretarias e instituições do governo local realizou mais de 1.500 atendimentos para as pessoas que moram na região, levando prestação de serviços, dignidade e assistência social.

Em 15 dias, a extensa operação no SCS, que contou com a presença de 16 secretarias e instituições do GDF, teve diversos tipos de enfoques. As mulheres contaram com o apoio de equipes especializadas, equipes de abordagem social intensificaram as ações pelas ruas do SCS, inclusive acompanhadas com equipes de outros parceiros, como a Fundação Oswaldo Cruz, entre outras ações. A iniciativa deu tão certo que o GDF já estuda ampliá-la para outras regiões administrativas.

Ao todo, foram emitidos 120 documentos de identidade pela Polícia Civil, 43 pessoas aceitaram voluntariamente serem transferidas para casas de acolhimento e outras cinco também aceitaram tratar suas dependências químicas em comunidades terapêuticas. Além disso, as equipes de consultório na rua realizaram 380 testes, entre covid-19, hepatite, HIV, sífilis e glicemia, e fizeram 12 encaminhamentos.

1.500atendimentos foram feitos pela ação integrada do GDF de atendimento a pessoas em situação de rua no Setor Comercial Sul

“Os números dessa ação mostram o sucesso do trabalho integrado do governo e das secretarias trabalhando juntas para atender de forma rápida a população, principalmente a que se encontra em risco social, como é o caso da população em situação de rua”, enfatiza a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Rocha.

A secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani, destacou a importância da presença do GDF no auxílio ao tratamento da dependência química: “A nossa equipe teve chance de levar esperança e oportunidade de mudança, para mostrar que é possível ter mais qualidade de vida com o acompanhamento de psicólogos e terapeutas. A partir do acolhimento voluntário conseguimos apoiá-lo no seu processo de reinserção social e econômica e, inclusive, no resgate dos seus vínculos familiares”, ressalta.

Na conclusão, doações

O encerramento da ação nesta sexta (4) culminou com a entrega de 135 kits de higiene pessoal e 45 cestas básicas para as mulheres em situação de rua da região. Durante o ato, a secretária da Mulher, Ericka Filippelli, conheceu algumas das estruturas que o GDF revitalizou no SCS para a utilização da população em situação de rua, como banheiros públicos, e também conversou com algumas mulheres que moram no local.

“É uma forma de entender como elas vivem e de saber como podemos ajudar. Com essas buscas ativas, a gente tem a oportunidade de conversar com elas, de conhecer a realidade das mulheres, identificar casos de violência e, então, acolhê-las e orientá-las”, explica.

Elaine dos Santos | Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Elaine dos Santos, de 24 anos, foi uma das agraciadas com um kit de higiene pessoal. Ela está em situação de rua há três anos e aproveitou a ação integrada no SCS para emitir sua identidade, se cadastrar na Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab) e, na Unidade Móvel da Secretaria da Mulher, se informou sobre seus direitos e como proceder em uma situação de violência. “Eu aprendi que nós não devemos ficar caladas, sofrendo qualquer tipo violência. E falo muito isso para as minhas amigas que sofrem, mas não têm coragem de denunciar”, garante.

Confira o balanço final das ações realizadas no SCS:

SEDES
CadÚnico: 98 atendimentos
> consulta, inscrição e atualização de dados
Abordagem social: 770 atendimentos
> conversas e encaminhamentos para as instituições que estavam presentes
Acolhimentos: 43
> para casas de acolhimento à população em situação de rua

SEJUS
37 atendimentos
Acolhimentos: 5
> para comunidade terapêutica para tratamento de dependência química

PCDF
120 emissões de RGs

SES
132 atendimentos individuais
248 testes rápidos realizados (Covid-19, hepatite, HIV, sífilis)
> 4 positivos para Covid-19, 7 para sífilis e 2 para HIV
132 dosagens de glicemia capilar
12 encaminhamentos
> internação CAPS, UPA, oftalmologia, ressonância magnética de coluna, Hospital Dia, ambulatório trans e comunidades terapêuticas

SMDF
128 atendimentos
> orientação sobre direitos, vinculação inicial para oferta de acolhimento em casa social para mulheres, atendimentos gerais, encaminhamentos

Codhab
168 atendimentos
> cadastro e verificação de processos em andamento

Defensoria Pública
163 atendimentos
> consultas e orientações jurídicas; emissão de voucher para isenção de taxa da 3ª via da identidade; encaminhamentos psicossociais e jurídicos

SETRAB
42 atendimentos
> cadastro no Sistema de Mão de Obra para participar do programa de 2º da Política Distrital à Pop Rua; emissão de carteiras de trabalho convencional e digital; indicações para vagas de emprego

Defesa Civil
21 atendimentos
> cadastro para entrega de cestas básicas e cobertores

* Com informações das Secretarias da Mulher, de Desenvolvimento Social e de Justiça e Cidadania

Fonte: Governo DF

Felipe Viana

Felipe Viana