Covid-19: ONU cobra Brasil ações de combate para indígenas, negros e quilombolas


source
Membros do povo yanomami ao redor de posto de atendimento em Roraima
EPA/JOEDSON ALVES/BBC

ONU cobra posição de país sobre denúncias recebidas diante de situação da Covid-19


No último mês, a Organização das Nações Unidas (ONU) enviou uma carta ao Brasil cobrando por respostas sobre como está lidando com a  Covid-19 , doença transmitida pelo novo coronavírus . O órgão se preocupa principalmente com o tratamento dado às populações indígena, quilombola e negra.


O País foi mencionado diversas vezes em denúncias no Comitê da ONU sobre a Eliminação da Discriminação Racial. Pelo alto volume, o governo brasileiro foi acionado.

A carta cita que esse grupo de pessoas sofre com “discriminação estrutural e generalizada” e que isso causa sérias preocupações diante do tratamento contra a Covid-19. Entre as barreiras enfrentadas pela população além da pandemia estão citadas o agravamento da falta de segurança social; do acesso à alimentação, água e saneamento básica; e da inserção no sistema de saúde e de educação.

A ONU cita separadamente a situação das mulheres negras, quilombolas e indígenas, afirmando que a situação delas é ainda mais agravada, se comparadas ao de homens. Isto porque as mulheres ainda são submetidas à discriminação de gênero.

O órgão vê ainda como preocupante os conflitos de apropriação de terra e de demarcação de territórios em meio à pandemia . Além disso, também são citados na carta fatores como pobreza, marginalização e exclusão social.

O documento foi recebido e a diplomacia do Brasil está coletando dados para enviar resposta.

Felipe Viana

Felipe Viana