Samambaia terá cartão-postal  


.
Foto: Acácio Pinheiro / Agência Brasília

Se engana quem pensa que só no centro da capital do país existe um museu a céu aberto. As regiões administrativas do Distrito Federal também se destacam pelas belezas arquitetônicas. Pensando em eleger o cartão-postal da cidade, a Administração Regional de Samambaia iniciou uma votação para escolher o ícone que representa a região e os cerca de 300 mil moradores.  

Entre os pontos turísticos estão o Centro Olímpico, Chafariz, Complexo Cultural, Estádio Rorizão, Igreja da Barca, Parque Três Meninas e o Restaurante Comunitário. O administrador regional de Samambaia, Gustavo Aires, explica que a escolha dos monumentos foi feita por uma comissão de servidores do órgão que moram na cidade há muito tempo.

“Decidimos elencar os locais com histórias marcantes para que os moradores escolham o local que mais representa a cidade e eles”, ressalta. “Algumas regiões são conhecidas por um ponto turístico específico, como Taguatinga e Ceilândia. E, infelizmente, não temos um símbolo aqui em Samambaia, mas vamos mudar isso, com todo o empoderamento oferecido pelo governo”, reforça Aires.

Andréa Rodrigues, 21 anos, já votou no seu monumento preferido. “A igreja da Barca é bonita não só por fora, mas por dentro também. Tem uma arquitetura diferente e tem gente que passa por ali todos os dias e não percebe”, comenta. “Acho importante esse tipo de iniciativa, pois na nossa cidade há muitos lugares bonitos e que, às vezes, os próprios moradores não conhecem”, lembra a estudante.

Regionalidade
A iniciativa da administração, segundo o secretário de Cultura e Economia Criativa (Secec), Bartolomeu Rodrigues, é uma forma de incentivar a regionalidade local. “Samambaia integra uma região que faz do DF um dos maiores aglomerados urbanos do país, com tradições e uma história cheia de significados para quem chegou ali, constituiu famílias e continua ajudando a construir a cidade”, lembra o titular da pasta.  

Confira os pontos turísticos que participam da votação

Centro Olímpico

Foto: Acácio Pinheiro / Agência Brasília

Localizado na QN 319, o Centro Olímpico de Samambaia foi inaugurado em 2009, com a presença do ex-jogador de futebol Pelé. O espaço oferece várias atividades esportivas e lutas marciais, além de projetos voltados para pessoas com deficiência. O principal objetivo é proporcionar qualidade de vida e auxiliar na iniciação esportiva.

Chafariz

Foto: Arquivo

Não há um monumento de um chafariz em Samambaia, mas na memória de quase todos os moradores da existe um símbolo de luta e persistência. Na década de 80, quando não existia água encanada, foram instalados pontos para que a comunidade pegasse água potável. Eles foram apelidados de chafariz.  

Complexo Cultural

Foto: Acácio Pinheiro / Agência Brasília

O Complexo Cultural de Samambaia tem uma área de quatro mil metros quadrados – em um terreno de 14 mil metros quadrados – de arquitetura moderna, multifuncional e sustentável. Entre as instalações do espaço, localizado no centro da cidade, estão um cine/teatro, biblioteca, salas de oficina e galpão multiuso.  

Estádio Rorizão

Foto: Acácio Pinheiro / Agência Brasília

Inaugurado em 1994, o estádio Joaquim Domingos Roriz é mais conhecido como Rorizão. Com capacidade para até seis mil pessoas, a arena fica na quadra 301. A partida de estreia foi entre Samambaia FC e Taguatinga e o jogo terminou com vitória do time da casa.

Igreja da Barca

Foto: Acácio Pinheiro / Agência Brasília

A igreja Santa Luzia, é mais conhecida como da Barca por fazer alusão a história de Noé e ter o formato de uma arca. Em 1996 foi publicado um decreto para a construção do espaço e os padres Alberto Trombini e Manoel Martins escolheram erguer o local na QS 304. Além do templo religioso, também foi construída a creche Santa Luzia para atender crianças em vulnerabilidade.

Parque Três Meninas

Foto: Acácio Pinheiro / Agência Brasília

A área de lazer e preservação carrega o nome da história da família do pioneiro Inezil Penna Marinho. Ele veio para Brasília para ajudar na transferência do Ministério da Educação e Cultura para a nova capital. No fundo do terreno, que hoje abriga o parque, Inezil nomeou como “Granja Três Meninas”, em homenagem às filhas.    

Restaurante Comunitário

Foto: Acácio Pinheiro / Agência Brasília

Este é o primeiro restaurante comunitário inaugurado no DF. No ano passado, o estabelecimento recebeu reformas, foi reinaugurado e passou a se chamar oficialmente de Rorizão, em homenagem ao ex-governador Joaquim Domingos Roriz. Desde 2019, as refeições voltaram a custar R$ 1.

Fonte: Governo DF

Felipe Viana

Felipe Viana