Twitter vai ser pago? Rede social confirma que estuda modelo de assinatura


source

Olhar Digital

Twitter
Unsplash/Sara Kurfeß

Twitter estuda modelo de assinatura na rede social


O Twitter confirmou que de fato está buscando modelos de assinatura para a plataforma. A ideia é recuperar a receita que vem perdida em publicidade, com investimentos parados no mundo inteiro durante a crise do novo coronavírus (Sars-Cov-2).


Quem confirmou foi Jack Dorsey, CEO do Twitter, em uma conferência com acionistas nesta quinta-feira (23). “Vocês provavelmente vão ver alguns testes neste ano”, disse o executivo, ressaltando que os esforços para encontrar um modelo de assinatura ainda estão nas primeiras etapas.

Até pelo começo dos estudos, o Twitter ainda não tem um modelo definido de assinatura. Dorsey disse que várias abordagens serão testadas, mas garantiu que a rede social não deve se tornar paga – a assinatura seria opcional.

No começo do mês, surgiram rumores sobre um possível modo pago do Twitter. A empresa teria postado uma vaga de emprego em busca de alguém para trabalhar em uma plataforma de assinatura chamada “Gryphon”. Agora, Dorsey confirmou os esforços da empresa.

Vítima de hackers

A divulgação dos resultados financeiros do Twitter ocorreu em tempos bastante conturbados para a empresa, que foi alvo de um mega-ataque  que invadiu algumas das contas mais populares da rede social, incluindo Bill Gates e Elon Musk.

A rede social confirmou mais detalhes sobre os ataques , e confirmou que as mensagens diretas de dezenas de usuários podem ter sido acessada pelos hackers – incluindo de um político eleito na Holanda.

Dorsey pediu desculpa pelo ataque e reconheceu que o Twitter deixou a desejar em relação à segurança . “Nos sentímos terríveis com esse incidente,” explicou. “A segurança não tem um ponto final. É uma iteração constante. Vamos continuar a nos esforçar para melhorar a segurança dos nossos sistemas ao mesmo tempo em que conversamos com empresas externas e agentes da lei”.

Felipe Viana

Felipe Viana