Valor do BRB aumenta mais de 400% no mercado e banco passa a valer R$ 6 bilhões

 
A maior valorização da história do Banco de Brasília ocorre após parceria entre a instituição financeira e o Flamengo
 

Foto: José Melo.
Nos últimos dias, o valor de mercado do Banco de Brasília aumentou 400% e saltou de R$ 1,2 bilhão para R$ 6 bilhões. A valorização do BRB é medida a partir do preço das ações do banco na Bolsa de Valores.
O crescimento mais significativo – de R$ 2,5 bilhões para a marca atual – foi registrado depois do anúncio da parceria negocial da instituição financeira com o Flamengo para a criação de um novo banco digital.
O projeto entre o BRB e o Flamengo prevê a abertura de conta digital, comercialização de cartões e seguros, além de uma série de benefícios desenhados especialmente para os cerca de 40 milhões de torcedores do time.
O acordo, segundo dirigentes do BRB, vai permitir ao banco avançar no segmento digital e está alinhado ao planejamento estratégico de expansão da marca. Faz parte da tática da atual gestão diversificar os negócios e posicionar o Banco de de Brasília tanto no cenário nacional quanto no ambiente digital.
“A escolha do parceiro foi estratégica e permitirá ao BRB diversificar seus negócios, aumentar a sua base de clientes e valorizar ainda mais os seus ativos. O crescimento do valor de mercado do Banco nas últimas semanas reforça a expectativa de crescimento e de avanço do BRB no mundo digital”, destaca o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa.
Modelo
O modelo de negócio firmado com o Flamengo não é semelhante a nenhum outro existente no mercado. O contrato entre o banco e o clube carioca tem três anos de duração, renováveis por mais dois. Permite, ainda, a criação de uma nova empresa no futuro.
Com a parceria, o BRB vai oferecer atendimento bancário em plataforma digital com produtos de identidade personalizada, programa de relacionamento e de experiências exclusivas, além de atendimento nos canais físicos. Por isso, a parceria também prevê a instalação de uma unidade do BRB nas dependências do clube para atendimento a atletas, torcedores e empregados do Flamengo.
O banco terá também direito exclusivo de pagamento da folha salarial do clube e preferência na contratação, por parte do Flamengo, de produtos e serviços bancários como empréstimos, cartões e seguros. Em contrapartida, o clube terá participação nos resultados alcançados com a comercialização de produtos e serviços, o que vai gerar aumento de receita à instituição.
O contrato estabelece um valor mínimo garantido por ano de R$ 32 milhões ao Flamengo pelo direito de exclusividade de exploração dos negócios previstos na parceria envolvendo torcedores, imagem e negócios corporativos com o clube.

 

 

Fotos: José Melo.

Paulo Melo

Paulo Melo

Paulo Melo é Jornalista, formado em Gestão Pública pela UCDB e em Gestão Empresarial e Controladoria na UNIPLAN, já cursou Ciência Política na UDF. Especialista em Marketing, editor chefe do portal Cidades & Condomínios, ex-coordenador geral do Movimento dos Comunicadores do Brasil - MCB e ex-presidente da Federação Nacional dos Comunicadores no Distrito Federal - FENACOM/DF.