Delmasso quer investigação de “Homem Pateta”, perfil que induz crianças ao suicídio

Representação apresentada por Rodrigo Delmasso pede apuração e multa de R$ 1 milhão ao responsável pelo perfil
 

Foto: Reprodução/Facebook.
O deputado distrital Rodrigo Delmasso (Repubicanos) solicitou ao Ministério Público Federal (MPF) a abertura de investigação sobre o “Homem Pateta”. O perfil das redes sociais é acusado de induzir crianças e adolescentes ao suicídio.
O parlamentar, vice-presidente da Câmara Legislativa, quer, além da apuração, a retirada do conteúdo da internet. As postagens são atribuídas a um nome identificado como Jonathan Galindo. A representação pede multa de R$ 1 milhão ao responsável. O valor será revertido para projetos sociais de menores abandonados.

Há até páginas e grupos associados ao perfil. Um deles tem mais de 2 mil integrantes – Foto: Reprodução/Facebook.
 

No Facebook, há vários perfis com a descrição da Polícia Civil – Foto: Reprodução/Facebook
 

 Apesar de ter poucas publicações, os perfis têm centenas de curtidas e comentários de adolescentes – Foto: Reprodução/Facebook

Do ponto de vista de Delmasso, as denúncias são gravíssimas. “Espero que o Ministério Público Federal investigue e adote as devidas providências. Não podemos permitir que um perfil induza nossas crianças ao suicídio”, pontuou.
A Polícia Civil e o Facebook já estão investigando o perfil. Pais e responsáveis podem pegar informações sobre como proteger crianças e adolescentes com a seguinte cartilha, de autoria da delegada Fernanda Lima.
Veja a representação: SEI_Representação de Delmasso ao MPF.
Paulo Melo

Paulo Melo

Paulo Melo é Jornalista, formado em Gestão Pública pela UCDB e em Gestão Empresarial e Controladoria na UNIPLAN, já cursou Ciência Política na UDF. Especialista em Marketing, editor chefe do portal Cidades & Condomínios, ex-coordenador geral do Movimento dos Comunicadores do Brasil - MCB e ex-presidente da Federação Nacional dos Comunicadores no Distrito Federal - FENACOM/DF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *