Práticas inovadoras em educação são destaque na CLDF

Referência mundial de educação integral, o fundador da Escola da Ponte, José Francisco Pacheco, ressaltou importância de se "passar do paradigma da instrução para o da aprendizagem"

Concerto de violinos de estudantes de Santa Maria; Infozine, do Paranoá; Matemática para Todos, da Asa Sul e Mulheres Inspiradoras, do Sol Nascente, foram alguns dos projetos apresentados em audiência pública sobre práticas inovadoras na educação pública na tarde desta sexta-feira no plenário da CLDF. O mediador do encontro, deputado Leandro Grass (Rede), destacou que além de reconhecer os bons projetos, valorizar os professores, a intenção é possibilitar que essas práticas se multipliquem e iniciar um movimento para expor continuamente tais iniciativas, em um "gesto de amor à educação".

Entre os projetos "inspiradores", na acepção de Grass, alunos de diversas faixas etárias, do Centro de Ensino Fundamental Santos Dumont, escola que fica em Santa Maria, apresentaram um concerto de violinos. O projeto de musicalização teve início em 2006, com oficinas de instrumentos de sopro, e expandiu para outros instrumentos musicais.

Com a presença dos alunos nas galerias, o professor de Filosofia, Vinicius de Silva Souza, do Centro de Ensino Médio 1 do Paranoá, apresentou o projeto "Infozine". Há cinco anos ele e os alunos desenvolvem o produto que mescla informativo com material literário e artístico. Segundo Souza, o objetivo da ferramenta é dar protagonismo ao estudante em trabalho construído coletivamente. Racismo, paraolimpíada, gravidez na adolescência e suicídio foram temas de edições do Infozine, que tem desdobramentos nas redes sociais. Também daquela cidade, crianças da Comunidade de Aprendizagem do Paranoá (CAP) relataram suas vivências na educação integral.

O projeto "Matemática é para todos", desenvolvido pelo Centro de Ensino Fundamental Caseb, na Asa Sul, pauta-se pela execução de problemas matemáticos em grupos colaborativos no contra turno da escola. Já o projeto "Mulheres Inspiradoras", do Centro de Ensino Fundamental 28, do Sol Nascente, lida com a questão da violência contra as mulheres. Na avaliação do deputado Fábio Felix (PSOL) os projetos apresentados reforçam alternativas "neste momento em que assistimos a projetos pedagógicos retrocedentes".

Escola da Ponte – Para o fundador da Escola da Ponte, o educador português José Francisco Pacheco, referência mundial de educação integral, é fundamental "passar do paradigma da instrução para o da aprendizagem" ao pensar em inovação. Pacheco, que é mestre em Ciências da Educação pela Universidade do Porto, contou que foi no Brasil onde percebeu que aprendizagem é um "projeto coletivo" e citou os educadores brasileiros Paulo Freire, Anísio Teixeira e Nise da Silveira como algumas de suas referências nessa área. Para ele, "sala de aula não rima com inovação" e o centro da aprendizagem deve ser o aluno.

Em linha tangencial, o professor da Universidade de Brasília (UnB), Pedro Demo, defendeu a aprendizagem pela autoria: "O bom argumento é aquele que elaboramos com autoria própria". Pós-Doutor pela Universidade da Califórnia, Demo expôs que o desejo é pela autoria e não pelo autoritarismo. Também em prol da autonomia aos estudantes, a diretora da escola-classe 115 Norte, Marta Regina Caldas, acredita que, no trabalho de gestão, é necessário sempre se colocar no lugar de aprendiz.

Professores que coordenam os projetos inovadores foram homenageados com moções de louvor durante o encontro, que contou ainda com a participação de alunos de escolas públicas e integrantes do movimento pela pedagogia da educação.

Portal Cidades e Condomínios por Jornalista Paulo Melo 61 98225-4660 Sugestão de pauta: cidadesecondominios@gmail.com #Cidades #Condomínio #PauloMeloJornalista #CidadeseCondomínios