Bate-papo com a síndica Flávia Monteiro

Na 34° edição da série de entrevistas intitulada de BATE-PAPO COM SINDICO, conversamos com a Gestora de RH e Síndica do Condomínio Le Ville Residence de Águas Claras em Brasília-DF, Flávia Monteiro, veja abaixo as respostas dessa competente gestora ao nosso portal




1-) Porque decidiu ser Síndica? 
A vontade/necessidade de ser síndica do condomínio ocorreu em 2016 devido aos problemas que estávamos enfrentando pela gestão da época, onde deixou o condomínio negativado, com ações judiciais, dívidas e com saldo em conta muito baixo. Pela experiência em administração de empresas, formação em Recursos Humanos e , acima de tudo, disposição para organizar o condomínio desde a tomada até a parte financeira, senti que deveria contribuir muito para o condomínio e condôminos. 

2-) Como conciliar suas atividades, mais a de Síndica? 
Criei uma rotina junto à minha equipe operacional, desta forma tenho os dias e horários destinados exclusivamente ao condomínio. É claro que os problemas não marcam hora para acontecer, mas muitas vezes consigo resolver pelo telefone ou internet, acionando os parceiros para auxiliar na demanda. Atualmente minhas outras atividades demandam pouco tempo, então me dedico muito mais ao condomínio. 

3-) Como é ser Síndica?
Um condomínio funciona como uma empresa, com X acionistas (proprietários). O síndico é o administrador responsável por zelar e valorizar o bem desses acionistas. Considero essa função desafiadora por toda a problemática de ter vários acionistas para atender às expectativas e ao mesmo tempo tendo que dizer “não” para muitas delas devido implicações jurídicas, financeiras, etc.. Para mim, pessoalmente, é gratificante.

4-) Quando assumiu quais os problemas encontrados?
Não havia separação dos valores de Fundo de Reserva e conta corrente, processos contra o condomínio por falta de pagamento, manutenções pendentes , falta de registro de documentos, inexistência de Regimento Interno, contratos onerosos.

5-) O que representava o maior problema?
O maior problema era a parte financeira, pois gastava-se muito além do previsto, e com isso deixávamos de honrar com os compromissos; além disso, organizar toda a parte documental foi complicado. Também enfrentei problemas em ser respeitada como síndica MULHER e jovem , tanto por condôminos como por prestadores de serviços, mas hoje tenho estrutura para lidar com essas situações. 

6-) Deixe uma mensagem de otimismo para os seus colegas Síndicos?
Não atue pelos aplausos e nem morra pelas críticas. Trabalhe de forma a integrar os condôminos, mostrando que o futuro da condomínio não depende só do síndico , mas de todos os moradores E não desanime, a tarefa é árdua mas compensa.

Portal Cidades e Condomínios por Jornalista Paulo Melo 61 98225-4660 Sugestão de pauta: cidadesecondominios@gmail.com #Cidades #Condomínio #PauloMeloJornalista #CidadeseCondomínios