O senador Izalci Lucas (PSDB-DF) defendeu nesta quinta-feira (27), em Plenário, a emenda constitucional (EC) de número 100, que torna obrigatória a execução das emendas parlamentares de bancadas estaduais. A EC 100 foi promulgada na quarta-feira (26) pelo Congresso Nacional

Foto: Geraldo Magela.

O Plano Piloto de Brasília receberá nos dias 24 e 25 de junho o 19° Encontro Brasileiro de Síndicos e Síndicos Profissionais - Enbrassp, promovido pela Abrassp, Abrassp Mulher, SindiCONDOMÍNIO-DF e Síndicos de Águas Claras, no auditório da Yolo BSB, na orla da ponte JK


O vice-presidente da Câmara Legislativa, deputado Delmasso (PRB), criou o projeto de lei 927/2016 sobre os aspectos da política distrital de educação e valorização do verde. A proposta foca especialmente na arborização das escolas públicas e na divulgação entre os estudantes da importância do plantio e da conservação de árvores

Aconteceu nesta segunda-feira (03/06), por iniciativa do deputado distrital João Hermeto de Oliveira Neto (MDB), foi realizada Sessão Solene, no plenário da Câmara Legislativa, em  reconhecimento a importância dos comunicadores, blogueiros, e influenciadores e comemoração ao Dia do Blogueiro

Prefeito Hildo do Candango se reúne, com o ministro Gustavo Canuto pra tratar de diversos temas sobre políticas públicas.


A audiência ocorrida na tarde desta quinta-feira (06) com os prefeitos que integram o g100, da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) e o ministro de Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, para tratar de diversos temas que visam a concepção de políticas públicas, no sentido de dar prioridade ao grupo de cidades acima de 80 mil habitantes e com altos índices de vulnerabilidade socioeconômica.

Na oportunidade o prefeito Hildo do Candango defendeu alguns pontos que devem ser analisados pelo Governo Federal como indispensáveis para Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (RIDE), um deles foi o programa habitacional “Minha Casa Minha Vida”, que passou por um momento de paralisação no estado de Goiás e atingiu diretamente os construtores e trabalhadores da construção civil que atuam nesta região.

O prefeito Hildo do Candango demonstrou preocupação ao ministro Gustavo Canuto, que mesmo depois de toda a movimentação realizada e com o anúncio do aporte de recursos feitos pela pasta, os processos ainda continuam travados, causando preocupação a toda cadeia produtiva do setor, importantíssima para os municípios envolvidos.

O que nos preocupa muito é que os processos ainda estão travados, a construção civil nesta região e fundamental para a politica de fomento para geração de emprego e renda. Atualmente 30% da arrecadação municipal provém desta área através do ITBI, sem ela nossos municípios podem entrar em colapso administrativo”, disse o prefeito.

O ministro Canuto informou que alguns repasses ainda não haviam sido realizados, mas até o final do mês de junho eles serão transferidos voltando a normalidade.

Canuto também garantiu que os subsídios estão garantidos. O ministro destacou que o programa passa por reformulações e possivelmente será dividido nestas duas áreas: famílias de baixíssima renda e famílias de baixa e média renda.

O prefeito Hildo do Candango tranquilizou os trabalhadores da área da construção civil e os construtores do município Águas Lindas, e que todos os esforços estão sendo realizados para garantir a manutenção do programa e na busca eficácia da efetivação dos contratos com a Caixa Federal que tem realizado o sonho da casa própria para milhares de famílias e gerando emprego em renda.

Participaram da agenda com o Ministro Gustavo Canuto o prefeito de Igarassu/PE e também vice-presidente nacional do g100, Mário Ricardo, o prefeito de Águas Lindas de Goiás/GO e também presidente da AMAB, Hildo do Candango, e o representante da prefeitura de Feira de Santana/BA, Denilton Pereira de Brito.

Acompanhe mais informações nas redes sociais da Prefeitura de Águas Lindas:

Site da Prefeitura de Águas Lindas:

Após duas semanas de greve ilegal, professores de Novo Gama terão que retomar as aulas.

Após implementação da Jornada Ampliada as notas do IDEB caíram e munícipio já esteve em última posição entre os 12 munícipios goianos entre 100 e 200 mil habitantes – Foto: Reprodução

A Jornada Ampliada permitia que os professores trabalhassem somente no período da tarde ou de manhã, ficando com o contra turno livre e fora de sala de aula. A jornada ampliada desobriga os professores a cumprir às 40 horas em sala de aula, tornando necessária a contratação de novos professores para ocupar o tempo restante. O fim da jornada ampliada não significa aumento de carga horária dos professores, pelo contrário, a lei nacional do magistério diz que o professor tem que cumprir 40 horas de trabalho, sendo 26 horas em sala de aula e 14 horas fora de sala, preparando suas aulas, ou seja, com a jornada ampliada o professor não cumpria sua carga horária completa.  Além disso, a educação não foi beneficiada, em mais de cinco anos de Jornada Ampliada a nota do IDEB (Índice de Desenvolvimento de Educação Básica) de Novo Gama não apresentou melhoras e neste período já esteve na última posição do ranking de notas entre os municípios de Goiás com até 200.000 habitantes. O programa não cumpriu com o que prometia. Mesmo assim, o Sinpro-NG (Sindicato dos Professores de Novo Gama) declarou greve geral dos professores da cidade.
Hoje o cenário atual do Brasil é de diminuição de benefícios e regalias e quer eliminar os privilégios governo durante toda a sua gestão garantiu um reajuste salarial de 12,76% dos professores, carga horária alinhada com o que manda a lei nacional do magistério, garantindo 26 horas semanais em sala de aula e 14 horas semanais para o preparo de aulas e coordenação, desta forma o município cumpre com o que manda a lei. Após duas semanas com as escolas do município paradas e os alunos sem aula, a Justiça determinou judicialmente a ilegalidade da greve, obrigando os professores a voltarem às salas de aula, fixando multa de até 150.000 reais para o sindicato.
Acusados de usar a greve como uma manobra política para desmoralizar o governo da atual prefeita, Sonia Chaves, o sindicato teve seus planos arruinados graças à eficácia da justiça. Visto que tanto o salário quanto o horário de trabalho dos professore permaneceram como eram antes da Jornada Ampliada, consequentemente não há prejuízo nem para o estudante, que deve ser sempre a prioridade dos profissionais da educação e do governo, nem para os próprios professores.  A única coisa prejudicando a educação de Novo Gama é o próprio sindicato.


Tecnologia do Blogger.