Qual o papel de um síndico em um condomínio residencial

Quando se fala em condomínio a primeira reação é de: lá vem problema...discussões...cota extra...aumento de cota...e por aí vai... 

Na verdade, toda vez que precisamos decidir sobre ações que envolvam o condomínio onde moramos e/ou trabalhamos, existem muitas dificuldades para chegarmos a um consenso, o que acaba resultando em baixa participação de todos. Em última análise um condomínio significa rateio de despesas e administração de conflitos. Um dos maiores desafios de um síndico para prestar um bom serviço é exatamente conciliar todos os interesses, e gastando pouco.

O sindico é aquele que precisa ter grande capacidade resiliente, perfil relacional, senso de desprendimento, voluntarioso, muito organizado, conhecimento sobre questões prediais, e acima de tudo, por ser um cargo eletivo, precisa ser "politico" no sentido verdadeiro da palavra.

Se faz necessário para iniciar um bom trabalho à frente de um condomínio, um diagnóstico sobre o cenário que temos, para em seguida estabelecermos um plano de ação, dentro da realidade financeira e operacional. O objetivo sempre deve ser atingir níveis de excelência cada vez mais elevados, mantendo a relação de custo x benefício com índices sempre satisfatórios. A Literatura sobre o condomínio, também, é fonte de consulta obrigatória.

Composta pela Convenção (Constituição), Regulamento Interno (Normas de Convivência) e Atas das Assembleias Ordinárias e Extraordinárias que tratam de matérias especificas, sempre norteiam a administração. Sim, parece mesmo com a gestão de uma pequena cidade. Colher a opinião de todos é importante, pois ajuda no planejamento, e também a perceber como somos vistos, pelos condôminos (os eleitores).

Outro ponto fundamental, entre tantos outros é a comunicação. Devemos manter os condôminos sempre muito bem informados sobre cada passo e ação efetivos da administração, pois afinal o patrimônio é de todos e o síndico é o personagem eleito para traduzir em ações todos os anseios da coletividade (da maioria), sempre mantendo e valorizando o patrimônio.

O que vai contribuir para uma, nos dias de hoje em que vivemos uma crise institucional de credibilidade, minimamente uma boa administração é a transparência. Regras sempre muito objetivas, claras e assertivas na contratação de serviços ou compras de insumos e equipamentos, cuidados na área contábil e tributaria (recolhimentos, retenções e impostos).

Poderíamos falar horas sobre como ser um ótimo síndico, mas como cada condomínio tem sua própria realidade, procuramos elencar os pontos mais importante nessa árdua cruzada que é ser sindico.

Matéria originalmente publicada em Administradores

Portal Cidades e Condomínios por Jornalista Paulo Melo 61 98225-4660 Sugestão de pauta: cidadesecondominios@gmail.com #Cidades #Condomínio #PauloMeloJornalista #CidadeseCondomínios