Estudo aponta crescimento de furtos e roubos de condomínios em São Paulo

Na última terça-feira, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo divulgou pesquisa que aponta o crescimento do número de furtos e roubos em condomínios neste ano

O aumento foi de 56% em relação ao ano anterior. De janeiro a abril de 2018, foram registrados 1.300 crimes. Já em 2017, no mesmo período, o total de ocorrências foi de 832.

Especialista na área de segurança e gestão de condomínios, Alexandre Isaías explica que grande parte dos condomínios peca na questão da falta de treinamento dos funcionários. O que ocasiona, na grande maioria, o despreparo para lidar com situações arriscadas.

“É importante que o síndico sempre opte pelo treinamento e fiscalização do trabalho de abordagem, registro de colaboradores e manutenção em dia da tecnologia à disposição do condomínio. Grande parte dos roubos e furtos acontecem porque quem trabalha em determinadas funções não está bem treinado, como, por exemplo, o porteiro”, explica o diretor da 3A Consultoria Predial.

Outro ponto ressaltado por Isaías é o papel do morador na segurança do condomínio. Segundo ele, o morador deve se conscientizar que o regimento do espaço residencial deve ser cumprido.

“Muitos moradores não respeitam as regras de segurança. Um exemplo é o método para liberação de visitas. Na grande maioria dos casos os porteiros devem seguir um protocolo. Aí, o morador acaba reclamando da demora para liberação do visitante. Isso é um forte exemplo de que seguir o patrão é fundamental. É a garantia de visita segura para o morador e demais condôminos”, exalta.

Portal Cidades e Condomínios por Jornalista Paulo Melo 61 98225-4660 Sugestão de pauta: cidadesecondominios@gmail.com #Cidades #Condomínio #PauloMeloJornalista #CidadeseCondomínios