Bate-papo com a síndica Maria Júlia Avellar

Na 19° edição da série de entrevistas intitulada de BATE-PAPO COM SINDICO, conversamos com a empresária, profissional de Educação Física graduada pela UnB, Pós -Graduada em Gestão Condominial e Síndica Profissional, Maria Júlia Avellar. Ela administra o Condomínio Residencial Via Carrara no Sudoeste, como síndica moradora e é Gestora Condominial do Condomínio Residencial Parthenon também no setor Sudoeste em Brasília-DF, veja abaixo as respostas dessa competente síndica profissional ao nosso portal


1-) Porque decidiu ser Síndica? 

Decidi ser síndica na própria assembleia, quando vi a oportunidade de poder fazer mais pelo condomínio onde residia. Foi um grande desafio. Com o passar do tempo, fui me capacitando cada vez mais, me apaixonei e vi a possibilidade de poder fazer mais também em outros condomínios. Foi quando decidi ser síndica profissional. 

2-) Como conciliar suas atividades com a de Síndica? 
Hoje em dia eu não tenho mais esse problema, sou síndica profissional e trabalho exclusivamente para condomínios. Administro meu tempo com uma rotina diária de visita aos condomínios e agenda pré – estabelecida de atendimentos a condôminos e fornecedores. Trabalho com um “Plano Diretor Customizado” que facilita muito o acompanhamento das atividades.

3-) Como é ser Síndica? 
É fascinante ! Sou síndica moradora há 12 anos e síndica profissional há 2 anos. Apesar da rotina inerente a toda profissão, ser síndica é lidar diariamente com tomada de decisões e solução de problemas. Ser síndica de um condomínio não se resume apenas a pagar contas, fazer benfeitorias e cuidar da valorização do patrimônio. Ser síndico(a) é ter como missão maior o bem-estar dos moradores e poder tornar o ambiente mais saudável para aquela comunidade. É também envolver a comunidade na responsabilidade social de todos nós. 

4-) Quando assumiu quais os problemas encontrados? 
No início da minha gestão como síndica profissional um dos maiores problemas encontrados foi a falta de manutenção preventiva nos sistemas construtivos e a falta de conhecimento e cumprimento das normas vigentes do condomínio por parte dos condôminos e funcionários. 

5-) O que representava o maior problema? 
O maior problema que encontrei foi a falta de regras. As manutenções dos sistemas estão sendo executadas, e para melhor convivência dos moradores foram alterados o regimento interno e a convenção coletiva. Hoje, posso dizer que essa mudança foi fundamental para a harmonia em que vivem. 

6-) Deixe uma mensagem de otimismo para os seus colegas Síndicos. 
A pluralidade de competências que envolve a função de um síndico é realmente apaixonante. É necessário ter conhecimento administrativo, contábil, jurídico, de engenharias e arquitetura, gestão de conflitos, gestão de pessoas. É importante lembrar que devemos sempre estar amparados por profissionais especialistas e habilitados. É preciso saber trabalhar com as peculiaridades de cada condomínio, para assim poder entender as necessidades de cada comunidade. Trabalhar sempre com muita transparência, liderança e participação dos moradores. A busca pelo conhecimento e a capacitação constante são primordiais na vida do síndico(a). Ser Síndica Profissional é inovador. É uma função realmente desafiadora!!! 

Portal Cidades e Condomínios por Jornalista Paulo Melo 61 98225-4660 Sugestão de pauta: cidadesecondominios@gmail.com #Cidades #Condomínio #PauloMeloJornalista #CidadeseCondomínios