sábado, 4 de março de 2017

GDF inaugura papa-entulho em Ceilândia

População poderá descartar resíduos da construção civil ou de demolições, além de podas de árvores, móveis velhos, óleo de cozinha e recicláveis. Espaço funcionará de segunda a sábado, das 7 às 18 horas

População poderá descartar resíduos da construção civil ou de demolições, além de podas de árvores, móveis velhos, óleo de cozinha e recicláveis. Espaço funcionará de segunda a sábado, das 7 às 18 horas. Foto: Tony Winston/Agência Brasília

A partir deste sábado (4), Ceilândia conta com um local para entrega de até 1 metro cúbico (equivalente a uma caixa de água de mil litros) por dia e por pessoa de resíduos da construção civil ou de demolições. O ponto ainda servirá para o recebimento de restos de árvores podadas, produtos recicláveis e móveis velhos. Intitulado papa-entulho, o espaço fica na QNN 29 da maior e mais populosa região administrativa do Distrito Federal.

“Vai facilitar muito a logística para a população e para o SLU”, destaca a diretoria-presidente do Serviço de Limpeza Urbana (SLU), Kátia Campos. Segundo ela, isso ocorre pelo fato de, tanto a comunidade, quanto o órgão, centralizarem o descarte dos materiais para posterior recolhimento. “Vamos ter economia principalmente na logística da coleta”, completa.

A unidade já entrou em funcionamento. A população tem de segunda a sábado, das 7 às 18 horas, para levar o entulho para o descarte. O local tem escritório de apoio aos trabalhadores, área coberta para recebimento de recicláveis e baias para materiais volumosos e de podas. Há ainda rampa de acesso de veículos pequenos para descarte de resíduos de construção civil diretamente em contêineres.

O gerenciamento da área, a coleta e a destinação ambientalmente adequada dos resíduos são de responsabilidade do SLU. A instalação custou R$ 132 mil, recurso proveniente de emenda parlamentar do deputado distrital Chico Vigilante (PT).

No papa-entulho também é possível entregar óleo usado em frituras, por meio do Projeto Biguá, da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb). A recomendação é que o material seja levado em embalagens como frascos de amaciante e xampu. A capacidade é de até 50 litros por dia.

Para o Secretário das Cidades, Marcos Dantas, o local ainda vai contribuir para a diminuição da incidência de vetores de doenças. “Com menos entulho em áreas públicas, menor é a possibilidade de aparecimento de ratos, baratas, escorpiões e, principalmente, do mosquito Aedes aegypti“, enfatiza, ao se referir ao inseto responsável por transmitir a dengue, a febre chicungunya e o zika vírus.
O carroceiro Joaquim Cabral, de 69 anos, foi um dos primeiros a depositar entulho no local. Foto: Tony Winston.

Os carroceiros Joaquim Cabral e Nivaldo Barbosa, respectivamente de 69 e 40 anos, foram os primeiros a depositar entulho no local. “Antes a gente corria o risco de ser multado se o lixo fosse colocado em local proibido”, conta Joaquim. De acordo com levantamento recente da Agência de Fiscalização (Agefis), foram identificados, em Ceilândia, 983 pontos de descarte irregular.
Outros papa-entulho no DF


Unidade semelhante está sendo erguida na Usina de Tratamento de Lixo do P Sul, também em Ceilândia. Outras cinco são construídas em Brazlândia, no Gama, no Guará, em Planaltina e em Taguatinga. Segundo o SLU, mais estruturas do tipo devem ser licitadas para outras áreas do DF. “Nosso projeto é construir 60 unidades. Além dessas seis, outras cinco estão em fase de elaboração e adequação do projeto”, explica Kátia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Últimas