terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Economia de água durante rodízio supera meta da Caesb

Desde o início do rodízio de fornecimento de água nas regiões administrativas abastecidas pelo Descoberto, em 16 de janeiro, a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) registrou economia de 14% nos níveis de vazão e captação do recurso. O número supera a meta da estatal, que previa redução de 10% para esse primeiro ciclo

A Caesb registrou economia de 14% nos níveis de vazão e captação de água. O número supera a meta da estatal, que previa redução de 10% para o primeiro ciclo do rodízio de fornecimento. Foto: Andre Borges.

Foi retirada, no primeiro mês de 2017, uma média semanal de 3,8 mil litros por segundo de água, contra uma retirada média de 4,4 mil litros por segundo em dezembro.

O resultado no último mês de 2016 já era 14,7% menor em relação ao volume captado no início da estiagem, em setembro, de 5,1 mil litros por segundo. O presidente da companhia, Maurício Luduvice, atribui a conquista à participação popular. “Governo e sociedade estão fazendo a sua parte para superar a crise hídrica vivida pelo DF, principalmente nas regiões abastecidas pelo Descoberto”, avalia.

Apesar da boa notícia, a medida de contingência ainda precisa ser mantida, e a população pode consultar no site da Caesb os locais afetados.

Luduvice ressalta a importância do controle do uso dos recursos na área rural na captação em córregos e ribeirões tributários da Barragem do Descoberto. “Somos [Caesb] o último a receber água para captação, por isso, é preciso que todos colaborem, de forma que a água possa chegar em quantidade suficiente.”

Desde janeiro de 2015, a Caesb toma medidas para reduzir perdas no sistema de distribuição de água. Foram substituídos cerca de 150 mil hidrômetros. Houve ainda a troca de redes antigas e a instalação de válvulas redutoras de pressão.


Racionamento de água no DF

O rodízio no fornecimento atingiu cerca de 1,8 milhão de pessoas em Águas Claras, na Candangolândia, em Ceilândia, no Gama, no Guará, no Núcleo Bandeirante, no Park Way, no Recanto das Emas, no Riacho Fundo I, no Riacho Fundo II, em Santa Maria, em Samambaia, em Taguatinga e em Vicente Pires.

A partir de 30 de janeiro, será reduzida a pressão da rede nas regiões abastecidas pelo Sistema Torto/Santa Maria (veja as localidades na arte). Até lá, a companhia informa que fará testes e regulagens de válvulas na área. Ambas as medidas estão previstas na Resolução nº 20, de novembro de 2016, da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa-DF).



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Últimas