sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

ASSAÍ PARCELA COMPRAS DE ITENS NATALINOS EM ATÉ TRÊS VEZES SEM JUROS NAS COMPRAS ACIMA DE R$ 100


Brasília, dezembro de 2016 – Entre os dias 5 e 31 de dezembro, o Assaí Atacadista vai parcelar as compras de itens natalinos acima de R$ 100 em até três vezes no cartão de crédito. Entre os produtos participantes estão azeites, bacalhau, pernil, cestas de natal, panetones, frutas secas, aves natalinas, além de bebidas alcoólicas (exceto cervejas) e espumantes. A campanha “Natal Mais Brasil” é válida para todas as lojas da rede no País.


“O Assaí já costuma aceitar cartões de crédito como forma de pagamento em suas lojas, mas a facilidade do parcelamento dos itens sazonais de fim de ano é mais uma maneira de garantir que os pequenos e médios comerciantes abasteçam seus estabelecimentos para atender a demanda das festas. Além disso, as famílias também podem fazer suas compras em volumes maiores para as ceias e almoços”, explica Belmiro Gomes, Presidente do Assaí Atacadista.

Vendas de fim de ano

As festas do fim de ano representam o período de vendas mais importante para as redes de atacado. Em 2016 não será diferente para o Assaí, que espera um crescimento de 15% nas vendas na comparação com o mesmo período do ano passado.

As categorias que merecem destaque são de aves natalinas e pernil, que devem crescer mais de 20%, mesmo avanço que a rede espera para as vendas de cervejas e refrigerantes. Cestas e kit natalinos, panetones e bebidas em geral podem apresentar um aumento acima de dois dígitos na comparação com o mesmo período do ano passado, assim como as bebidas sazonais, como espumantes, e frutas secas.


Sobre o Assaí Atacadista


O Assaí Atacadista possui 102 unidades em 15 estados (AL, AM, BA, CE, DF, GO, MS, MT, PB, PE, PR, RJ, RN, SE, SP). Negócio de atacado do GPA, a rede opera com o formato Cash&Carry, conhecido como atacado de autosserviço, e está em plena expansão. Em 2015, a rede inaugurou 11 novas unidades no Brasil e fechou o ano com vendas brutas de R$ 11,3 bilhões, expansão de 25,5% em relação ao ano anterior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Últimas