quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Jardim Botânico abrirá visita a coleções de pesquisa científica

Espécies de plantas suculentas e aquáticas, além de animais polinizadores ficarão expostos em três estufas, que somarão 332 metros quadrados. Parque infantil sustentável será outra nova atração

Plantas suculentas serão expostas em estufas no Jardim Botânico. Foto: Andre Borges.
A técnica Valdina Ferreira toma cuidado ao pegar uma aranha para separá-la da coleção de plantas suculentas. Ela afasta o aracnídeo não pelo perigo que oferece às espécies, mas porque ele pode predar animais que fariam a polinização das flores. Os vegetais de que Valdina cuida com dedicação integram uma das três coleções de pesquisa científica a serem abertas para visitação no Jardim Botânico de Brasília (Área Especial do Setor de Mansões Dom Bosco, na subida da QI 23 do Lago Sul).

Três estufas serão construídas no parque ecológico para dar acesso tanto à coleção de suculentas cuidada por Valdina quanto à de plantas aquáticas e a uma outra de animais que fazem polinização, como abelhas. As exposições serão montadas para dar novas opções de visita no Jardim Botânico. Elas ficarão uma ao lado da outra e somarão 332 metros quadrados de área.

Atualmente, a coleção de suculentas é exposta em duas estufas de aproximadamente 30 metros quadrados. O espaço ampliado permitirá que o número de espécimes seja maior. No momento, há mais de mil unidades nas estufas e no herbário Ezechias Paulo Heringer.
"Nas estufas atuais, a coleção tem que ficar fechada para fins científicos. Na nova, as pessoas terão acesso facilitado."Priscila Oliveira, diretora de Fitologia do Jardim Botânico

Ali, as novas plantas são cultivadas e as doentes, tratadas. “Nas estufas atuais, a coleção tem que ficar fechada para fins científicos. Na nova, as pessoas terão acesso facilitado a elas”, explica a curadora das suculentas e diretora de Fitologia do Jardim Botânico, Priscila Oliveira.

No ambiente onde se encontram, as plantas estão cerradas, sem que os frequentadores possam vê-las de perto. Priscila e Valdina ponderam que os visitantes serão orientados a não tocar nos espécimes, para não prejudicar a preservação.

A construção terá custo de R$ 110.450,14, vindos de emenda parlamentar. A empresa de pequeno porte Fiber Glass Construções Ltda. ganhou a licitação para a obra, e o contrato foi firmado nessa quarta-feira (5) entre representantes da companhia e do Jardim Botânico.

A previsão de entrega é de 60 dias após a assinatura do contrato. O edital de licitação foi lançado em 19 de setembro de 2016.
Jardim Botânico terá parque infantil sustentável

A comissão de licitação do Jardim Botânico também fez outro contrato, assinado ontem (5), para construir um novo parque infantil com materiais sustentáveis.

O contrato inclui: um anfiteatro; 15 bancos de concreto e 14 de madeira; uma casa na árvore; uma casa ianomâmi; um castelo infantil; oito mesas de madeira com cadeiras de encosto; um parquinho para crianças de até 5 anos; uma pérgola; uma praça de águas e um redário, ocupando uma área de 1.074 metros quadrados.

A ganhadora dessa licitação foi a microempresa Leão Serviços Gerais de Conservação e Limpeza Ltda. O orçamento para a obra é de R$ 178.876,45, também de emenda parlamentar. A construção será feita para atender à demanda dos visitantes por um novo lugar para as crianças. O edital de licitação foi lançado em 12 de setembro de 2016.

Jardim Botânico de Brasília

Área Especial do Setor de Mansões Dom Bosco, na subida da QI 23 do Lago Sul

Visitação de terça-feira a domingo, das 9 às 17 horas


Entrada: R$ 5 por pessoa. Crianças até 10 anos incompletos, idosos a partir dos 60 anos e pessoas com deficiência não pagam ingresso

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Últimas